É nos Ecopontos onde a população pode ter acesso, desde 30 de abril de 2016, ao benefício do programa Recicla Fortaleza, que dá desconto na conta de energia e crédito no Bilhete Único pela troca de resíduos recicláveis, resultado de parceria entre a Prefeitura de Fortaleza, a Enel Distribuição Ceará (Enel) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). Numa etapa posterior, os créditos também poderão ser utilizados na conta de água.

Para ter acesso aos benefícios, é simples. Basta que o fortalezense procure um dos ecopontos mais próximos, levando a conta da Enel ou o Bilhete Único, para fazer o cadastro e receber o cartão Recicla Fortaleza. Daí, é separar os resíduos recicláveis e levá-los até o ecoponto para pesagem, lembrando de armazená-los sem sobra de alimentos ou produtos para não atrair insetos e gerar mau cheiro. No ecoponto, o cidadão confere a tabela de valores dos resíduos recicláveis, pois o crédito será calculado de acordo o peso e os tipos de materiais, levando em consideração o mercado.

Materiais que geram crédito no Recicla Fortaleza

Os materiais que vão gerar crédito na conta de energia são vidro, metal, papel, plástico e outros, como na divisão abaixo:

Vidro

- Embalagens de vidro, café solúvel e maionese, e garrafas de cerveja, refrigerantes e aguardente.

Metal (Exceto Cobre)

- Ferros em geral, parafusos, latas de cerveja e refrigerantes, aço inox, antimônio, baterias de carro e moto, chumbo e bronze.

Papel

- Papelão, jornais, livros, cadernos, papel branco e papel misto.

Plástico

- Garrafas de refrigerantes (PET), filme, PVC, mangueira, sacolas, embalagens de água sanitária, margarina e detergente.

Outros

- Óleo de cozinha e embalagens Tetrapak (leite, sucos e achocolatados).

Materiais que NÃO geram crédito no Recicla Fortaleza

É preciso ter bastante atenção, pois, mesmo sendo recebidos nos ecopontos, não geram créditos no Recicla Fortaleza os seguintes materiais: entulhos de obras de pequeno porte, cerâmicas ou porcelanas, móveis, estofados, madeiras, restos de podas de plantas, pilhas, celulares, aparelhos eletroeletrônicos, papel sujo ou plastificado, embalagens de ovos, caixas de sabão em pó, embalagens aluminizadas e pneus.